quinta-feira, setembro 10, 2009

233-Volteiiiiiiiiiii

Cada vez mais do mesmo. (Como diria um amigo meu , ... e vice-versa).
Eles pisam-se, eles gladiam-se, eles mentem, eles suspiram, eles gritam, eles simulam, eles dizem que disse que outro disse e não disse. Política, eleições e aldrabices...
Cada vez que acontecem eleições, damos de caras com certas e determinadas frases e observações que nada nos dignificam. Todos lutam pela melhor posição no "poleiro" e lá de cima hão-de cacarejar no momento de tomar a assento tão almejado. Palavras ? leva-as o vento, as obras ? essa, ficam para segundas núpcias, mas isso só se tivermos casamento, caso contrário na, na, na...
Apesar de tudo tenho notado os debates actuais um pouco frouxos em relação ao que estávamos habituados. Será por falta de iniciativa, será por falta de ideias, será por falta de um programa adequado à realidade actual. Não sei. Sei , e isso sim, que não me sinto esclarecido com o que já ouvi e isso é mau, muito mau.
Embora não seja apologista de um governo para 4 anos, por julgar curto o espaço de manobra para levar seja o que for a bom porto, a verdade porém é que uns aprovam leis e orçamentos, obras e outros itens, e depois mudam-se as "caras" mudam-se as opiniões , arrastam-se projectos e paga-se mais caro, e muito mais caro, pelo arrastar de decisões...
-------------------------------------------------------------------------
Outra coisa que quero aqui deixar expressa é a opinião pessoal sobre o caso "TVI e Jornal de 6ª" . Discordo, se o afastamento da equipa e a abolição do Jornal nos anteriores moldes, foi levada a cabo por orientação política e aí , estamos mal. No entanto, acredito também, e aceito que o Jornal de 6ª tinha mesmo que levar uma mexida, não pelo Jornal em si, mas pela apresentação arrogante de quem o paresentava.
Não nego, que tem que haver alguém que traga a lume situações das documentadas, mas sei e acima de tudo que o mesmo deve (deveria) ser feito de forma o mais correctamente possível, sem aquela picardia forçada que se impunha por parte da apresentadora. Podem as notícias ser apresentadas sem aquele azedume quase "vingativo" por algo que eu ainda não abrangi.
Como ouvinte e espectador notei um quê de ridículo a perseguição desenfreada que era feita a terceiros. A prova de que as coisas podem ser apresentadas de outra forma, viu-se na apresentação da última 6ª feira, levada a cabo por (dizem) uma estagiária a qual conduziu e bem todo o formato do Jornal.
Não me parece que tenham ocultado qualquer notícia sobre o Freeport, só por ter sido a "novata" a apresentar, vi e confirmei que as notícias podem ser feitas de uma forma mais correcta , como a última fez, sem a arrogãncia posta em prática pela anterior apresentadora. Tornava-se monótono, ridículo e sem se perceber a maior parte dos diálogos por parte da apresentação, prejudicadas ainda pelas palavras mal audíveis do comentador que a acompanhava .
Vá, agora dêm-me lá nas orelhas... Não posso agradar a Gregos e a Troianos, as minhas desculpas...
(Nota:- regressei sem ter um único texto vosso para publicar...óhhhh tristeza das tristezassss...
Um abração / GW

2 comentários: