sexta-feira, abril 25, 2008

196-Abril, conquista, quase esquecida...

Passam 34 anos sobre esta data , para mim , marcante , como para a maioria dos Portugueses. Recordo que então, apesar dos meus 19 anos recentes, me encontrava no serviço militar, levado por uma ânsia em o finalizar o mais breve possível, me impeliu ao voluntariado. Apesar de ser o filho mais novo entre muitos irmãos, depressa me vi a viver só com a minha mãe, procurando a pulso lutar por um lugar digno quer académico, quer profissional, é verdade que o facto de ter perdido um irmão na guerra do ex Ultramar, também teve peso na minha decisão pois à partida não iria para as ex Colónias.
Nota-se que a nossa hostória morre aos poucos e quase nada se diz hoje sobre tal facto, a transmissão de ensinamentos sobre a data, no ensino, é quase nula. Pergunta-se o significado a um adolescente e a resposta quase imediata "é um feriado"...
A situação actual, quase não fáz lembrar , que existiu um a 25 de Abril de 1974 um Movimento das Forças Armadas, o qual deitou por terra o governo de então, fascista. Era à data estudante-trabalhador e cumpria já o serviço militar , recordo plenamente esse dia, apesar de na unidade onde me encontrava estarmos apenas de prevenção, vivi com imensa emoção o acontecido, em que um golpe militar desencadeia um espontâneo e justificado levantamento popular , centrado inicialmente para a Capital, mas rapidamente extensivo a todo o País. O levantamento das Forças Armadas, alicerçadas nas massas populares e dos trabalhadores, acabarão por exigir que haja um empenhamento social e político mais alargado, o que acabaria por dar um ímpeto revolucionário ao Movimento das forças Armadas, conhecida como a Revolução dos Cravos. Foi esta a forma , apesar de pessoalmente aceitar, ideais diferentes , numa Liberdade de expressão que nos foi concedida . A Revolução de Abril foi um acto conseguido que acabou por trazer ao nosso povo, às suas classes mais desfavorecidas , mudanças de uma Vida cujo anseio é para melhor. Desde o fim da guerra colonial , e as condições favoráveis à independência , dos que são hoje os Países, Moçambique, São Tomé,, Cabo Verde, Angola e Guiné-Bissau . Sendo este último pioneiro pois já tinha proclamado a sua independência numa parte do seu território.
Hoje há descontentamentos lactentes pela situação actual, desemprego, estagnação e/ou perca do poder de compra, sobre-endividamento, tantas e tantas coisas para as quais todos temos contribuído. É verdade que o poder de decisão e actuação não se encontra nas mãos dos mais desfavorecidos, no entanto não nos devemos esquecer que o principal conceito nos foi garantido com o 25 de Abril, "A Liberdade".
Concerteza se todos aplicarmos esse conceito da melhor forma possível, tendo em mente que a Liberdade não é só um nosso direito, mas sim de todos , e que toda a partilha de ideais, sucessos e fracassos, deve ter em conta sempre a existência de mais pessoas além de nós, aí sim, decerto muitas outras situações passarão a ser bem melhores para todos nós, mas para isso, teremos que dar também o braço a torcer.
Grande parte das situações são-nos adversas, mas uma mesa só será deslocada sem esforço se mabos pegarmos nela e caminharmos no mesmo sentido e não cada um puxar para seu lado.
Não posso eu dizer que uma cor é Azul e Você dizer que é Amarela, mas em sintonia encontrar um ponto de equilibrio e quiçá, misturar as duas cores na percentagem correcta e obter com as duas um Verde ... Verde esse de Esperança que agradará a ambos, e para cujo resultado final todos partilhamos...

Com um forte Abraço, / GW

3 comentários: