domingo, setembro 17, 2006

109-Trabalho x remuneração

Há uns dias a esta parte tem sido divulgado valores respeitantes á oscilação da inflação, pib, desempenho profissional , eficácia entre tantos outros termos sobejamente conhecidos de todos nós. Ora, conforme nos querem fazer crer, e acredito que assim seja, notar-se-ão ligeiras melhorias se compararmos com outros períodos, mas há neste meio e modo de divulgação de valores em relação à nossa economia questões que me deixam algumas dúvidas, quando eu próprio não entendo lá muito bem o porquê de tais afirmações, ou mesmo até de exigências não bem definidas quanto a esse assunto.
--------------------------------------------------------------------------------------------------
Refiro-me às remunerações do trabalho, e ao facto de estas serem justas ou não perante a profissão desenvolvida por cada um, e o dizerem que o portugûes é dos menos produtivos da Europa. Não acredito como se diz, que a grande culpa esteja no trabalhador , motivado por um mau desempenho. Acredito sim, que o descontentamento face à recuperação do custo de vida e das despesas inerentes, tragam uma certa desmotivação a toda e qualquer pessoa que necessite de trabalhar para sobreviver. Sim , porque ainda há aqueles que não necessitam de trabalhar mas que tão mal criticam quem dá no duro no dia-a-dia.
Reconheço porém e digo isto por experiência própria, que se forem puxados os cordelinhos à bolsa das entidades empregadoras, por pouco que seja, um novo ânimo se levanta. Não me parece que as pessoas se queiram cingir unicamente à remuneração fixa apresentada em contratos de trabalho, mas outros valores há hoje que também têm peso, e bastante, no desempenho e rentabilidade de cada um , logo se transformando numa mais valia para a nós, para a empresa e para o Pais. Relato isto porque há anos atrás, na empresa à qual pertenço há quase 40 anos, foi sugerido atribuir prémios de produtividade, cujos valores recordo oscilavam num aumento de cerca de 15% a quem aceitasse certas condições, condições essas que em pouco ou nada alteravam o aspecto de uma assinatura feita num contrato anterior, em termos de obrigatoriedade do trabalhador para com a empresa, mas pelo contrário trazia regalias a quem fosse cumpridor de metas e objectivos acordados. Se não me falha a memória essas obrigatoriedades de compromisso, passavam por uma boa assiduidade, comparência a horas no local de trabalho, cumprir e fazer cumprir acções pré-estabelecidas, em matéria de aprendizagem, boa organização de tempos e métodos, bom planeamento e aplicação do mesmo nas condições mais rentáveis, menos tempos mortos, e acima de tudo uma boa relação interpessoal. Me perdoem os que não pensam assim, mas vivi momentos em que tive que perder 8% , para ganhar 3% , só porque não quiz dar o braço a torcer...
A verdade é que tudo isto já fazia parte de um conjunto de normas para um sucesso profissional, mas que muitos levados por uma liberdade exacerbada, colocavam de lado, e vinham olhando e pedindo mais para Si, descurando muitas vezes o factor empresa. A verdade é que quem aceitou estas exigências e assim subiu em termos de regalias monetárias, já assim procedia anteriormente, porque quem por norma não atribuía a si próprio um bom desempenho , facilmente se deixou ficar para trás, lamentando hoje não ter á época aceite as condições propostas.
Escrevo isto na situação (ainda) de trabalhador, as minhas palavras não terão decerto a mesmo aceitação em cada um de Vós, mas é assim que me revejo, foi assim que encontrei o melhor caminho para em conjunto fazer crescer não só a empresa onde estou, mas acima de tudo também eu crescer como pessoa e como profissional. A verdade é que se dermos o nosso melhor, e estas palavras não dirão respeito só a nós enquanto trabalhadores, mas também dirão e substancialmente muito ás empresas, quase certo conseguiremos levar a bom porto todas estas aspirações conjuntas. O dinheiro não é tudo, mas sim , ajuda, claro, mas há que colocarmos em nós esse espírito de vencedores que tanto nos caracteriza…

Um abraço c/amizade e boa semana
GW

2 comentários:

  1. Trabalho x remuneração
    Um bom tema...Trabalho desde os 15 anos,cheguei ao topo da carreira e nunca ganhei tão pouco,e tanto dou a ganhar...sempre vesti a camisola...não transporto os problemas pessoais para a empresa,mas não me liberto dos da empresa quando fecho aquela porta.Sou,gerente comercial,empregada de limpeza,electricista,picheleira,e ainda assim,uns dias sou bestial,noutros...besta.Não aceito objectivos...eles estão presentes em cada minuto prestado à firma,não compram o meu desempenho...ele,não em preço.
    Beijokita, :)*

    ResponderEliminar