domingo, junho 03, 2007

151-ser solidário

Se calhar não tenho nada que estar para aqui a debitar palavras, se calhar estou com esta atitude de hoje, a meter-me onde não sou chamado, se calhar se eu mesmo passasse por situações tão diversas, aí já pensaria de outra forma, no entanto, não querendo melindrar opiniões, a verdade é que me apetece aqui deixar um sentimento pessoal.
Há dias num canal de TV , falava-se de uma criança com dificuldades motoras, o qual , não tendo em Portugal o acompanhamento julgado conveniente , viu em terras de Fidel Castro , o possível minimizar do seu sofrimento. perante o caso, e muito bem , apela-se á generosidade dos portugueses, abre-se uma conta e cada um, tocado mais ou menos por uma sensibilidade já característica do nosso povo, ajuda como pode para que os custos fiquem ao alcance da família já por si , de rendimentos parcos.Nesse mesmo programa, num dos passatempos mais que diários, através de linhas de valor acrescentado, uma senhora, também ao que me pareceu com algumas dificuldades financeiras doou o prémio que lhe saiu em proveito da criança , cujo apoio se tem apelado. chegando ao ponto de afirmar no programa, que apesar de o valor ganho lhe fazer falta, era verdade que mais falta fazia à criança em causa. Ela, disse, não ficaria mais pobre sem o prémio, mas sim muito mais rica interiormente... gesto lindo. É certo que também eu não colaborei para este caso específico, mas, muito sinceramente não é tanto pelo facto de colaborar monetáriamente, mas mais pelo silêncio verificado...
Sentado numa cadeira bem relaxado, estava um convidado do programa, pessoa falada ultimamente nos média, pela razão de ser o até hoje único português inscrito para ir em viagem turística ao espaço, pasme-se , 200.000 €uros de mão beijada.
O dinheiro não é meu, é dele, só ele poderá fazer uso da forma que entender, não sei sequer se essa pessoa fez algum donativo para o caso que relato, ou talvez até já tenha dado para muitos outros. A diferença sim, essa notei, por nem uma única palavra ser dita pela pessoa (milionária) em relação à situação relatada , tendo como intervenientes a apresentadora, a senhora do passatempo e a criança a necessitar de ajuda monetária para o seu urgente tratamento. Continuo a dizer , não sei até que ponto pode ou não ter havido ajuda por parte do dito senhor, sei sim , e isso notei, haver ali uma indiferença pela situação , esperava no mínimo estando ele em directo e ser quem é , algumas palavras de ânimo, consolo, um miminho até, mas nada vi.
Pois é... Os ricos estão cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres...

Boa semana para Todos

3 comentários:

  1. E sempre kem mais vai ajudando é o pobre, pelos simples facto de sentir na pele, as necessidades, e ao haver seja kual for a necessidade nos torna mais sensiveis ao sofrimento alheio,
    bj

    ResponderEliminar
  2. Olá GW, há dias que não conseguia fazer comentários, mas hoje experimentei e vi que já resolveste o problema.
    Eu vi o programa de que falas e infelizmente esta é a mentalidade que (ainda) temos.
    um beijo grande , bem grande mesmo de uma amizade sincera.

    Nanda (F)

    ResponderEliminar