domingo, novembro 11, 2007

172-S.Martinho, vai à adega e prova o vinho...

Reunião de Amigos, foi o mote para festejar, apesar de um dia antes (sábado) o dia de S.Martinho , e de modo tradicional fazer uma assada de castanhas regadas pela água-pé acabada de abrir.Lá diz o ditado , em Dia de S.Martinho, vai à adega e prova o Vinho... Confesso não ser adepto da água-pé e por isso nem lhe toquei, mas uma boa quantidade de castanha assada com um tintinho , souberam mesmo bem, tão bem, que hoje pelo andar da carruagem vai haver descarga intestinal pela certa, para o que aconselho desde já não se chegarem muito perto de mim...
Tradição mais nas zonas de índole rural, o S.Martinho é retratado como uma festividade que se comemora ao redor de uma fogueira, onde no chão, entre a cinza quente, se colocam as castanhas a assar , que são "regadas" com a tradicional água pé, suficiente pretexto para me juntar aos amigos e familiares neste dia.
Como tem acontecido estes dias, o Sol fez-se brilhar, dando um toque especial. permitindo o apreciar de um azul Céu mais que bonito.
Diz a lenda que ia S. Martinho galopando no seu cavalo e eis que de repente se levantou uma grande tempestade, de chuva e granizo, vento forte. Na sua cavalgada avista S.Martinho um mendigo a tremer de frio, então, não terá hesitado , desce da sua montada e, com a espada, rasgou a sua capa ao meio para que o mendigo se agasalhasse. Reza a lenda, como me foi dada a conhecer, que, naquele momento, o Sol (tal como hoje) espreitou por entre as nuvens para que nenhum dos homens passasse frio. Fala-se em Milagre... e desde então, o Verão de S. Martinho aparece todos os anos com um "ar da sua graça" (uns anos com mais Sol, outros com menos, mas sempre brilhante ), ao qual se associa sempre um pretexto para um magusto ao ar livre com castanhas assadas, água-pé ou vinho novo. Pelo que sei, não se conhece a relação entre S. Martinho e as castanhas; assim, e muito provavelmente, será apenas uma coincidência de datas.
Dia 11 de Novembro é a data da morte deste cavaleiro e é sensivelmente por esta altura que nos meios rurais se prova o vinho novo, é nesta data que quase por magia se nota uma alegria noa ar , alegria essa mais que propícia a festas em redor desta lenda.
Das Castanhas, que há para dizer, sempre me recordo que desde sempre tiveram lugar à nossa mesa, tornando-se numa tradição comum, em particular enquanto a familia estava na Beira Alta, hoje mais no Litoral , mas procuramos manter essa tradição.
Já Idade Média, e então nas regiões mais desfavorecidas, os castanheiros eram conhecidos por "árvores-do-pão", devido ao papel importante que desempenhavam na alimentação. Em regiões como a Beira e Trás-os-Montes, quando as colheitas de cereais eram fracas, as pessoas recorriam às castanhas para se alimentarem durante grande parte do ano. Em vez de pão comiam castanhas e, como os Descobrimentos não tinham ainda trazido as batatas do continente americano, as castanhas desempenhavam um papel muito semelhante ao hoje ocupado pelas batatas (ou seja, serviam de acompanhamento à maioria dos pratos). Cozidas, assadas, ou piladas*, temperadas com erva-doce, como recheio de patos e perús e até ingrediente de sobremesas e doces (como bolos, cremes, pudins e gelados), as castanhas aí estão para tornar mais saborosos os dias cinzentos de Outono.
E, agora Vos deixo, está na hora de pensar no almoço de hoje, almoço este que não vai ter a presença da filhota que está pela Covilhã, e que me faz roer de saudades...
Um abraço com Amizade,

5 comentários:

  1. ...Tenho castanhas, água pé, batatas doces, broa, quejo.....e uma mesa de 4 metros...mas somos apenas 4 pessoas..os restantes lugares têm presenças vazias, mas cada lugar vazio terá sempre a presença no meu coração..tal como,"uma árvore, um Amigo.." Aiii que Saudades dos Tempos Idos!!!!

    Bom dia de S.Martinho paTodos....Em Especial aí pa vocês :-)*

    Beijitos da sp Amiga
    Miuda

    ResponderEliminar
  2. ZéDuNabo1:23 da tarde

    É pá, és oriundo da Beira Alta ? eu também sou. quem sabe não nos cruzamos já por aí em alguma fraga, bebendo uns copitos.
    É verdade amigo, na cidade nada é como por aquelas bandas. e os hábitos e costumes vão-se perdendo,

    [[[ ]]]

    ResponderEliminar
  3. olá,amigo bem aqui no porto embora eu ande mun grupo de foclore para não perder a tradição não se festeja como na aldeia o s.martinho simplesmente se assa ou cose-se umas castanhas e esta passado o dia,conforme eu vi na tv é bonito como se festeja,e gostava que aqui no Porto fosse igual,fique bem :))

    ResponderEliminar
  4. A tradição também chegou a lisboa. O mega magusto no terreiro do paço esteve lá.
    Amigo, tu sabes porque é que o Martinho só deu metade da capa ao mendigo?
    Se não sabes, ficas a saber que a outra metade não lhe pertencia, era do imperador.
    Beijinho grande para ti e obrigada pela visita.

    ResponderEliminar