segunda-feira, fevereiro 13, 2006

67 - Dia dos Namorados...

Falando por mim e, porque só por mim posso falar, não deixa de ser o dia de S.Valentim, o mais romântico do ano, porque senão vejamos, é este, em muitos casos o único dia do ano em que os casais arranjam um verdadeiro pretexto (devia ser todos os dias, mas enfim...) para se lembrarem daquilo que no resto do ano esquecem :- Que se amam... e que existe a mais bonita palavra do mundo: o Amor!
História de S. Valentim
Sabe-se que as comemorações de 14 de Fevereiro, dia de S. Valentim, como dia dos namorados, apresenta as mais variadas explicações possíveis – umas de tradição cristã, outras de tradição romana, pagã. A Igreja Católica reconhece três santos com o nome Valentim, mas o santo dos namorados parece ter vivido no século III da nossa era, em Roma, tendo morrido como mártir em 270. Em 496, o papa Gelásio reservou o dia 14 de Fevereiro ao culto de S. Valentim.
Este Valentim era um sacerdote cristão contemporâneo do imperador Cláudio II. Cláudio queria constituir um exército romano grande e forte; não conseguindo levar muitos romanos a alistarem-se, acreditou que tal sucedia porque os homens não se dispunham a abandonar as suas mulheres e famílias para partirem para a guerra. E a solução que encontrou… foi proibir os casamentos dos jovens! Valentim ter-se-á revoltado contra a ordem imperial e, ajudado por S. Mário, terá casado muitos pares em segredo. Quando foi descoberto, foi preso, torturado e decapitado a 14 de Fevereiro. A lenda tem ainda algumas variantes que acrescentam pormenores a esta história. Segundo uma delas, enquanto estava na prisão Valentim era visitado pela filha do seu guarda, com quem mantinha longas conversas e de quem se tornou amigo. No dia da sua morte, ter-lhe-á deixado um bilhete dizendo «Do teu Valentim».
Quanto à tradição pagã, pode fundir-se com a história do mártir cristão: na Roma Antiga, celebrava-se a 15 de Fevereiro (que, no calendário romano, coincidia aproximadamente com o início da Primavera) um festival, os Lupercalia. Na véspera desse dia, eram colocados em recipientes pedaços de papel com o nome das raparigas romanas. Cada rapaz retirava um nome, e essa rapariga seria a sua «namorada» durante o festival (ou, eventualmente, durante o ano que se seguia). Com a cristianização progressiva dos costumes romanos, a festa de Primavera, comemorada a 15 de Fevereiro, deu lugar às comemorações em honra do santo, a 14. Há também quem defenda que o costume de enviar mensagens amorosas neste dia não tem qualquer ligação com o santo, datando da Idade Média, quando a crença ditava que o dia 14 de Fevereiro assinalava o princípio da época de acasalamento das aves.
Com os tempos, o dia 14 de Fevereiro ficou marcado como a data de troca de mensagens amorosas entre namorados, sobretudo em Inglaterra e na França – e, mais tarde, nos Estados Unidos. Neste último país, onde a tradição está mais institucionalizada, os cartões de S. Valentim já eram comercializadas no início do século XIX. Actualmente, o dia de S. Valentim é comemorado em cada vez mais países do mundo como um pretexto para os casais de namorados trocarem presentes.
A questão agora colocada é esta: - Dia dos Namorados! Hoje! E amanhã, e depois e depois? Esquece-se que o Amor deve ser presença constante, e maltrata-se muitas vezes o nosso semelhante, insultam-se, traem-se, ofendem-se, não se respeitam... Nos outros dia ao longo do ano, não há presentes, esquece-se o dia de aniversário, não há surpresas, não há amor? Também este dia, tal como o Natal , o Amor deveria ser celebrado todos os dias, e não só quando a tradição elege a data como o dia dos namorados. Faça de cada dia da Sua vida um dia pleno de Amor e Compreensão.
Boa semana para todos e... ame muito...
beijos & Abraços a todos os que são especiais / GW

3 comentários: