sexta-feira, março 10, 2006

69 - Crianças hiperactivas... ( parte IV )

Olá Amigos.
Trouxe até Vós em textos passados, parte de uma pesquisa que fiz, inerente ao voluntariado que desempenho, alguns aspectos importantes sobre as Crianças hiperactivas e formas de acompanhamento. Por motivos que muitos de Vós conhecem não me foi permitido colocar a última parte dessa pesquisa. Assim, hoje, Vos deixo aqui a última parte desses textos.
Crianças hiperactivas... ( parte IV )
Qual a abordagem terapeutica mais adequada ? São vários os tratamentos utilizados: desde psicoterapias incidindo sobre a criança, intervenções comportamentais ensinadas aos pais e professores, a utilização de medicamentos, passando, até, por vezes, por terapias alternativas (como, por exemplo, dietas, tratamentos homeopáticos, meditação, etc). Ainda não existe um consenso total acerca da forma mais correcta de tratamento. De qualquer modo, vejamos os mais frequentemente utilizados.
- Abordagem psicossocial - As crianças hiperactivas têm problemas sérios em várias áreas de funcionamento relacionadas com o sucesso escolar, o relacionamento com os colegas e com a família. Por isso, utiliza-se tratamentos que visam modificar comportamentos e alterar formas de pensar e reagir.
-Intervenção junto da criança - Os terapeutas (por exemplo, psicólogos ou pedopsiquiatras) procuram ajudar a criança a controlar a sua impulsividade e agressividade, a pensar antes de falar ou agir, a esperar pela sua vez, etc.
-Intervenção junto da família - A eficácia destas estratégias de tratamento depende, em grande parte, da compreensão e motivação por parte dos pais. Daí a necessidade de aprenderem métodos de lidar com o stress e técnicas de modificação da conduta (tais como dar instruções claras às crianças, encorajar os bons comportamentos, usar os castigos de forma eficaz, etc.).
-Intervenção junto dos professores - Por vezes, também se recorre a intervenções na escola, através de programas desenvolvidos para os professores, a aplicar na sala de aula, de modo a transmitir-lhes técnicas de controlo e de modificação do comportamento destas crianças.As intervenções junto da família e da escola permitem que os progressos conseguidos no comportamento da criança se mantenham ao longo do tempo, já que a aprendizagem é feita nos contextos onde a criança deverá executar os comportamentos desejados.(…/…)
De que forma a escola pode ajudar estas crianças?
A maior parte das crianças hiperactivas consegue acompanhar as aulas normais. No entanto, se, em conjunto com o professor, os pais chegarem à conclusão que a criança não consegue acompanhar o ritmo poderão contactar a direcção da escola, no sentido de esta providenciar um apoio especializado. Além de um apoio às suas necessidades educativas, estes alunos deveriam ser orientados na sala de aula no sentido de haver um controlo do seu comportamento. As escolas que contam com o apoio de um Serviço de Psicologia e Orientação (com profissionais especializados) são as melhor posicionadas para articular estas necessidades. Para obter informações acerca deste assunto, contacte a Direcção Regional de Educação da sua região, decerto eles o informarão do caminho a seguir e da melhor aorientação.
-Dicas para professores nas salas de aula - Para ajudar as crianças com hiperactividade a adaptar-se melhor às regras de funcionamento e conduta na sala de aula, podem ser necessárias algumas modificações. Vejamos alguns exemplos.As crianças hiperactivas podem precisar de condições especiais que as ajudem a aprender. Por exemplo, colocar a criança numa área menos sujeita a distracções (perto do professor). Pôr um desenho em cima da secretária da criança para lhe lembrar as regras básicas nas aulas básicas pode ser uma boa ajuda: levantar a mão em vez de gritar ou manter-se sentado em vez de andar pela sala. Dar mais algum tempo nos testes, para que a criança sinta que tem uma oportunidade para mostrar o que aprendeu. Relembrar regras ou escrever instruções no quadro, enumerando o material necessário para determinada tarefa. Utilizar o reforço das condutas positivas, elogiando os aspectos positivos e os progressos. O professor pode ensinar técnicas que permitam à criança lembrar-se daquilo que tem de fazer: quando tiver dúvidas acerca de determinada tarefa, pode ver as instruções que estão escritas no quadro, levantar a mão e perguntar ao professor ou, simplesmente, perguntar calmamente a um colega. Ensinar a dividir uma tarefa em várias etapas e a fazer uma coisa de cada vez. Mas também é importante que os colegas não sintam que aquela criança tem direito a privilégios especiais, quando, ainda por cima, apresenta um pior comportamento. Se for necessário, o professor pode estender as modificações às outras crianças.
(Fonte: Revista Teste Saúde, in net e algumas leituras aqui e ali...)
Beijinhos e Abraços

1 comentário: