sexta-feira, março 31, 2006

74 - Regresso às Origens...

Agora, com o tempo livre que tenho, (e porque só fáz bem), procuro dar umas passeatas, devagarinho, pé-ante-pé, que isto não está ainda para grandes caminhadas, quanto mais não seja na zona envolvente à residência, não vão aparecer por aí os fiscais da Segurança Social e ... pimba, apesar de ter no boletim de baixa médica a indicação "pode sair de casa", já sei como seria.

Regresso ás Origens
Como referi, numa dessas pequenas passeatas, tenho feito paragem por alguns minutos na lagoa que fica perto da residência, não serão mais de 400 metros daqui lá. Em Outubro deixei aqui mesmo, um alerta sobre o efeito da seca , a qual se fez então notar em todo o território, sendo tal o estado da mesma e o impacto negativo que também teve aqui, sendo mesmo noticiado nas TVs e Jornais, pois apresentava um estado de seca que era possível fazer a sua travessia a pé. Os dias que se seguiram foram de uma intensa azáfama, quer a retirar os milhares de peixes mortos, quer a fazer uma dragagem parcial do fundo e margens da lagoa.
Um destes dias, num desses passeios a pé, reparei com satisfação, que a mesma está talvez com 60% da sua capacidade máxima, o que é perceptivel fazendo uma pareciação pelas marcas visiveis ainda na margem. Fiquei extremamente Feliz, pois sendo um local aprazível para ocupação de algum dos meus tempos livres, a mesma esteve em eminência de desaparecer por completo. Gostei de ver que o repovoamento de espécies está a ser feito. Era comum na sua fauna encontrar muitas variedades de peixes, sendo de destacar as Percas, os Arruivacos, os Achegãs e as Carpas. Também muitos patos bravos e algumas espectaculares aves de migração escolhiam estas paragens para fazer dos caniçais que ladeiam um dos lados da Lagoa, o seu lar. A margem sul , essa era mais rica em vegetação terrestre, onde se observava uma linha de vegetação lenhosa constituída por salgueiros (género Salix) e gramíneas típicas. Na parte adjacente da massa de água existia uma grande abundância de macrófitas aquáticas com a parte aérea emersa, dominada por espécies dos géneros Phragmites e Typha. Ao meio da Lagoa era possível observar-se manchas de golfão branco (Nymphae alba) e, em vários locais perto das margens, plantas flutuantes da família das Lamnaceas. Em abundancia podiam observar-se, formando copas de sombra, dezenas de acácias, espécie infestante , hoje dizimada com tratamento florestal, das quais existem ainda exemplares ao longo das estradas e em áreas mais frescas. Não imaginam o prazer que me deu saber que está tudo a recompor-se e progressivamente a voltar ao normal . É sem dúvida um local a preservar, o que nem sempre acontece por parte da acção humana, e cujo aspecto deveria ter outra consideração por parte de algumas pessoas que não actuam da melhor forma, principalmente os que teimam , apesar de proíbido, fazer das suas dunas , trilhos para o Todo terreno.
Bem, por hoje me fico, é bom relembrar situações que nos marcam de uma ou outra forma, está na hora de ir á minha passeata de modo a estar disponível para a fisioterapia que habitualmente frequento pelas 16 horas.
Um beijo , um abraço para Vocês e o desejo de óptimo fim de semana
GW


.

2 comentários: