sexta-feira, março 17, 2006

71 - Dia do PAI (19 de Março)

Subo ao sotão da casa que habito e por momentos olho para o tempo passado desde menino e revejo todo este percurso de muitos anos, o que fui, o que sou, a criança que fui, o Pai que sou, o que podia ter feito e não fiz, erros que poderia ter corrigido e não corrigi, mas sei, que o facto de ter estado sempre aqui Vos ajudei a cada momento das Vossas Vidas meus filhos, porque acima de tudo sinto-me realizado por Vos ter junto e de ter a certeza que de mim dei o melhor...
Dia 19 Março , dia do Pai
"Subo ao Sotão da casa que habito"... Fixo os olhos numa velha mala de madeira onde guardo com carinho parte das minhas recordações de menino, menino este , feito homem ao longo destes já ultrapassados 50 anos. então, era eu ainda uma criança, um entre 9 irmãos, recordo entre fotos e escritos, e também alguns objectos , os momentos passados então em especial aquele , em que me foram chamar ao local de trabalho (tinha ainda 14 anos) e me disseram para ir a casa pois o meu Pai queria falar comigo. Recordo ter sentido naquele momento um calafrio enorme, naquele corpo franzino, pois, sabia eu e tinha a noção da doença que há anos estava presente e aí o pior sentir se apoderou de mim.
lembro-me de ter percorrido aquele caminho de terra batida, cujas alparcatas já rotas pelo tempo de uso, quase não tocavam o chão. Lembro-me do semblante carregado da minha mãe e de algumas pessoas vizinhas , naquela casa restava eu e ela, os meus irmãos, um havia partido há pouco para a guerra do ultramar e os outros há muito estavam em Angola a trabalhar...
Entrei em casa, dirigi-me ao quarto onde meu Pai estava há muito acamado, me abeirei reparei como ele nos seus olhos entreabertos me fixou, pegando-me na mão ao mesmo tempo que me acariciou a face com a outra e me sussurou " meu menino, espero que tenhas juízo e te faças um homem" , foram estas as unicas e últimas palavras que ouvi da sua boca, palavras trémulas mas sentidas ao mesmo tempo que uma lágrima lhe descia a face. passaram alguns minutos e nada mais me disse, apesar da minha espera incessante.
Naquele momento findava ali, parte de mim, embora sem saber no momento o significado daquele silêncio, depressa me apercebi do suceddido.
Hoje, o menino que fui, deu lugar ao homem que sou, tenho o prazer de viver e ter ao meu lado os meus filhos e sei o quanto importante são para mim. também eu , não só nesta data , meu Pai, te deixo a minha Homenagem pelo Homem que foste, e pelo Pai que sempre serás, pois estejas onde estiveres, sei que Deus te reserva num lugar de onde podes abarcar todos os nossos movimentos, toda a nossa Vida e estar sempre perto de nós nos protegendo.
Obrigado por Tudo meu Pai...

Um abraço a todos os Pais e no geral um bom fim de semana

2 comentários: