domingo, julho 01, 2007

155- que mais irá acontecer...

Áté quando persistirá a Lagoa de Pataias ? É esta a questão colocada pela Bióloga que fáz parte do pelouro do Ambiente da Câmara Municipal. É verdade, depois da tremenda seca de 2004/2005 , e de tudo o que foi feito para de novo repovoar este espaço, reserva ecológica e abrigo de tantas aves migratórias, eis que de novo outra ameaça e esta com cariz muito mais grave se apodera do nosso ex-libris.Também eu me tinha apercebido que algo não estava bem quando ao passar por ali quase diariamente dei com os olhos num espesso manto verde acastanhado que aos pouco ia cobrindo o espelho de água, começando nas margens com afluència ao centro. De tal modo proliferou numa rapidez cavalgante que em dois ou três dias , já os patos que por ali vagueiam às centenas tinham dificuldade em se movumentar tal era a prisão exercida por aquela espécie exótica a que dão o nome de Azolla.
Numa entrevista dada a um periódico local, diz a Bióloga serem necessários cerca de dois meses para uma intervenção mais ou menos eficaz, uma vez que esta espécie depois de morrer se deposita no fundo, dando após algum tempo lugar a outras novas que podem destruir o sistema ecológico, face à falta de oxigénio originada. Na foto à esquerda consegue ver-se a camada de feto à superficie , e dois patos "atolados" no mesmo, quando pretendem nadar.
Foi necessário como se pode verificar na foto acima recorrer a mangas , das que são usadas para retenção dos crudes, para assim desse modo se procurar deter o avanço da espécie em questão, e proceder à máxima recolha, ao mesmo tempo que se procedia a análises para estudo . Em pouco mais de um mês já haviam sido retirados cerca de 70.000 litros de fetos. (curiosamente contados os 700 sacos de + de 100 litros) Cremos que esta espécie daninha para a lagoa e seu habitat tenha sido trazido por alguma ave , já que a mesma abunda nos charcos dos arrozais. Outra aflição surge também com os lagostins (o denominado lagostin vermelho da Louisiana) que de repente se multiplicou sendo já centenas os capturados, chegando mesmo até às terras vizinhas , vindo pela valas pluviais, sendo notória a presença de muitos nos caminhos e estradas vizinhos, esmagados pelos carros que passam. Neste caso , é para acreditar que os mesmos tenham sido ali colocados por mão humana e se multiplicado como já aconteceu em anos anteriores. Note-se que alguns chegam a ter de envergadura cerca de 20 cms, estamos a falar já de um tamanho considerável. A determinada altura do jornal temos uma leitura que nos lembra quase a invasão do lugar por estranos , e passo a citar " No dia 2 de Junho. procedeu-se à monitorização da situação, percorrendo-se a envolvente da Lagoa, procedendo-se à captura de espécies (...) Após algum tempo já haviam sido recolhidos algumas dezenas de indivíduos que se preparavam para invadir a vila...
Bem , isto já me lembra o relato da Guerra dos Mundos. Procurem decifrar na foto ao lado dois lagostins os quais estando pendurados chegam quase ao chão, estes quase de certeza com mais de 20 cms.
Mas dos dois factos relatados , o que causa mais apreensão é o da Azolla, um feto aquático, oriunda da América, introduzida em Portugal com as culturas do arrôs, onde é causador de muitos problemas, em particular na região de Mértola (rio Guadiana) e na lagoa de Alverca (em Santarém) . tendo encontrado na Lagoa de Pataias um local aparazível de águas paradas e abrigado e muito rica em nutrientes, estavam reunidas as condições para uma rápida reprodução, privando aquel imenso espelho de água do oxigénio necessário à sobreviveência das espécies que a mesma habitam...
Que mais irá acontecer depois desta infestação mais grave do que qualquer uma seca ? Estar alerta e colaborar na preservação de um bem que é de todos nós é o que cada um de nós deve procurar fazer...

Uma boa semana para Todos

4 comentários:

  1. É verdade, eu vi, quando na passeata á Lagoa, o estado em que a mesma se encontra,"engraçado" que tambem já tinha pesquisado tentando perceber o que seria, agora com este texto que nos deixas, acabo de confirmar que é mesmo da AZOLLA que se trata.Então sendo a AZOLLA um bom fertilizante orgânico fornecedor de azoto, será que não haverá por detrás disto "mão" humana?? Hummm!! é preciso ter atenção, não achas??

    Sou leiga em muitos assuntos, mas dou um bocadinho de mim para que tenhamos um Mundo melhor :-)

    Beijitos da sempre Amiga
    Miuda

    ResponderEliminar
  2. ola obrigada pela tua explicaçâo ´è que nâo sabia mesmo onde ficava este lugar que falas fica bem

    brisasuave

    ResponderEliminar
  3. mena (lx)7:26 da tarde

    Curioso, numa visita até Óbidos , acabamos por seguir até à Nazaré e passamos por aí. Adoramos o local, em particular pela abundância de aves, sobretudo os Patos Reais (penso que são). Dde seguida Praia das Paredes e S.Pedro Moel e sabes que mais amigo, recordei uma excursão dos meus tempos de criança por essas bandas, pena foi não conseguir o teu contacto antes, mas agora já sei onde é e oportunidades não vão faltar
    *************

    Mena (Lx)

    ResponderEliminar