sexta-feira, fevereiro 22, 2008

187-palavras para quê ...

"Catarina (nome fictício), de 14 anos, rosto de menina, olhar envergonhado caído no chão. Foi repetidamente violada pelo pai, um agricultor dos arredores de Oliveira de Azeméis, ao longo do último ano. Agora está grávida. Carrega um filho no ventre..."
Estas são as palavras descritas em notícia publicada num diário de grande tiragem. Situações deste tipo são constantemente noticiadas e , quase sempre ficam como no esquecimendo, esperando que tempos depois, uma outra notícia , e mais outra, e outra ainda, façam eco de tais brutalidades, muitas vezes levadas ao extremo de uma morte anunciada.
Qual será o viver destas crianças , molestadas e obrigadas a viver anos a fio num ambiente em que o silêncio se torna imperativa , face a agressões repetidamente consumadas, na maioria das vezes finalizadas em actos de violação consecutiva. O que pode levar alguém a agir desta forma e passo a citar :
" Na mesma altura em que Catarina começou a mudar o corpo de menina, o pai começou a violá-la perante o olhar da mãe, obrigada a assistir a tudo calada, sob ameaça. “Da primeira vez, a menina ainda tentou resistir, a mãe, ainda que tenha ido em seu socorro, foi barbaramente agredida”, diz a mesma fonte. "
Arrepio-me só de o saber, estremeço quando penso na agressividade pura deste homem que de Pai nada tem a não ser o acto biológico.
Mais adiante pode ler-se:
" As torturas da violação continuaram, sempre à noite, quando a menina estava a dormir. O violador obrigava a mãe a ir acordá-la. Algumas vezes, o irmão também assistia a tudo em silêncio, de lágrimas nos olhos, por nada poder fazer pela irmã e pela mãe. Em silêncio, o rapaz saía diariamente com a irmã para mendigar pelas ruas, sem coragem para denunciar o pior ..."
Não tenho palavras para continuar a escrever sobre este assunto, enoja-me só o facto de saber da existência desse homem. Para quando uma justiça forte e de mão pesada para estas situações ? Vamos andar sempre a recorrer de decisões apresentadas psoteriormente, dando como (im)provado disturbíos mentais ? .
Não, não sou capáz de digitar qualquer outra palavra, sinto-me mal, muito mal mesmo por tais atitudes...
pode ler mais aqui

4 comentários:

  1. Meu amigo só em ler uma pessoa fica revoltada,sou mãe e se por alguma hipose acontece-se algo,não sei não.
    Claro que há pessoas e pessoas mas iria eu consentir tal acto??
    Quando estamos por fora das situações falamos, protestamos, ameacamos,etc.. mas o que fez com que aquela mãe consenti-se?
    ENFIM
    BEIJO

    ResponderEliminar
  2. Ás vezes apetece-nos dizer uma grande asneira , era fazer o mesmo a estes gajos enfiar-lhes pelo cu acima uma bem grossa até sangrar e sair pela boca.
    desculpem mas fico lixado com estas coisas, e logo um pai, mas que merda de pai é este ?
    desculpem o palavreado mas sinto-me deveras fo****.

    ResponderEliminar
  3. Desde já muito obrigada pela tua visita ao meu cantinho...

    Eu revolta-me imenso esses montros serem chamados de Pai...

    Pai não é isso...

    Sei que é facil falar de fora mas eu como Mãe nem que o besta me matasse mas eu não me calava pelos meus filhos , ele podia matar-me mas eu ia fazer queixa dele...

    Beijinho e volta sempre...

    ResponderEliminar