sábado, dezembro 01, 2007

175-Conto de Natal ( I )

Era Inverno, a aldeia estava coberta de neve. Em quase todas as casas, uma lareira estava acesa. As pessoas que viviam na aldeia não eram muito ricas, pois as crianças não tinham brinquedos e nem jogos para brincar.
Um homem, um pouco já de idade, de barbas brancas e barrigudo, que andava a passear pela aldeia, viu crianças tristes e descontentes por não terem brinquedos para brincar. Esse senhor chegou à sua casa humilde e disse para a sua mulher:
- Sabes, tenho pena das crianças da nossa aldeia!
- Porquê? – perguntou a sua mulher.
- Porque não têm os brinquedos que gostavam de ter para brincar, nem jogos para jogar.
- Temos de fazer alguma coisa! – exclamou a mulher.
- Tens razão! – disse o marido.
O casal pensou, pensou, mas nenhum dos dois chegou a uma conclusão, até que o marido disse:
- Tenho uma ideia!
- Que ideia é essa?! – perguntou a esposa, admirada.
- Vou fazer brinquedos para meninos e meninas.
- É uma óptima ideia!
O homem foi buscar madeira, barro, plástico e outras coisas que podia arranjar.
Com a ajuda da sua mulher, começou a fazer brinquedos e jogos simples. Foi nessa altura que a mulher teve uma ideia:
- Eu acho que podias ir vestido com alguma fantasia!
- Tens razão, já tenho uma na minha cabeça.
- Ai sim, qual?
- Vou vestido de vermelho, e como estamos no Natal, podia ir de Pai … de Pai …Natal! – exclamou com orgulho!
- É uma óptima sugestão!
- É isso que eu vou fazer! Na noite de Natal levo um saco enorme e, pelas chaminés, deito os brinquedos.
- És maravilhoso, estou orgulhosa de ti, meu marido!
E foi assim, o combinado.
Na noite de Natal, algo aconteceu!
Seis veados estavam à porta da humilde casa do casal e, aí, o senhor teve outra ideia:
- Com um trenó velho, feito de madeira, eu posso prender os veados pelas correias do trenó e eles podem transportar-me.
- Só tu tens ideias maravilhosas! – exclamou a mulher.
O casal fez o que o homem tinha dito e ficou tudo uma maravilha.
Nessa noite de Natal, o senhor de idade e um pouco pançudo, de barbas brancas, foi um óptimo Pai Natal.
No dia seguinte, dia de Natal, todas as crianças estavam muito contentes com os seus maravilhosos brinquedos.
O casal feliz, passeando pela aldeia, olhando para as crianças, a mulher disse:
- És fantástico, tens de fazer isto, noutros anos.

Publicado "in net" por Dina Almeida – Ensino Recorrente

3 comentários:

  1. olá amigo gostei deste conto do natal,dsc so vir agora comentar mas foi um fim de semama de loucos alem de ir trabalhar no sabado no domingo tivemos uma saida de foclore a MESSÃO FRIO :))
    Sempre ocupada mas gostei.
    fique bem boa semama :)*

    p@ulit@

    ResponderEliminar
  2. Um pequenino Conto de Natal

    Solidão é coisa conhecida e ela está sozinha a maior parte do tempo.

    Mas arruma a árvore com aqueles enfeites de quando as crianças eram pequenas e prepara a ceia.

    Veste o vestido vermelho que usou naquele dia especial, há tanto tempo. Perfuma o pescoço, coloca o brinco, se olha no espelho. Está linda.

    Enquanto espera os filhos, escreve uma poesia e faz um pedido para a estrela cadente que passa veloz através da sua noite: só deseja paz.

    Todo o resto que precisa virá finalmente, com esse Natal diferente.

    FELIZ NATAL!!! para Ti GW e Familia

    Beijito da sp Amiga
    Miuda

    ResponderEliminar