segunda-feira, janeiro 09, 2006

58 - Coragem para agarrar a Vida...

Não sei se por saber da existência pelos “média” da situação crítica que pode levar alguns jovens ao desespero, se pelo facto de há uns anos a esta parte, estar ligado ao voluntariado e também aí e muito, ter conhecimento de situações idênticas, me leva a deixar aqui um alerta…

Coragem para agarrar a Vida...
T
al como o faço quase diariamente, passava os olhos por um dos jornais diário e deparei-me com um trabalho aprofundado sobre o que pode levar adolescentes (e não só), mas mais a camada jovem a seguir uma orientação a qual acaba muitas das vezes com o pôr termo à Vida.
Não vou relatar os episódios do trabalho apresentado, pois muitos de Vós o devem ter lido, no entanto e perante a “vivência” que me tem sido facultada, muitas das questões que se levantam, de uma ou de outra forma passaram por mim, em desabafos de quem conseguiu com muito esforço ultrapassar situações agoniantes.
Insucessos escolares, rispidez desorganizada em seio familiar de carências, infâncias não vividas, a experimentação de novas situações, o querer ser-se diferente, a incompreensão na maioria dos casos, e até exemplos vindo de pessoas chegadas, familiares e/ou amigos.
Por alguma razão, se verificam estas situações numa classe social baixa, atingindo valores surpreendentemente acima dos 55%, caracterizados por antecedentes familiares, e com base numa situação de abuso infantil, chumbos em situação académica, e também uma falta de confiança própria, em que sobressai o aspecto de 72% ser adolescente estudante.
Leio em determinada altura que Portugal tem uma das mais baixas taxas de suicídio da União Europeia, mas é sabido que as tentativas têm aumentado cada vez mais, e a cada ano se torna mais preocupante.
O que leva um adolescente a não querer acordar no dia seguinte ? até que ponto podemos ou somos capaz de notar um comportamento que indicie uma depressão profunda, que leve um jovem a não querer acordar, e não chegar a enfrentar um novo dia…
Muitas vezes os problemas estão à nossa frente e tornamo-nos impotentes para os controlar, ou nem sequer nos interrogamos atempadamente o porquê de um “chumbo” escolar que se aproxima, o deixar de ir às aulas, o manter-se distante dos outros, ou fases dramáticas trazidas quiçá, por uma doença grave própria ou de uma pessoa muito chegada, ou mesmo a vida sem nexo ou o divórcio dos pais, situações essas que o impelem a ter uma adolescência fora do normal se não existir da parte de quem o rodeia, a atitude correcta, o carinho, o amor , o saber estar, o escutar…
O que leva um jovem a sentir que “todo o problema é ele” e, desse modo acabar por ficar farto de si próprio.
Situações que quem a vive na maioria dos casos reserva só para si o porquê, quando o chega a saber e esse, chega a tempo de evitar o pior.
Talvez, se nos disponibilizarmos um pouco e nos mantivermos alerta, saibamos não nos abster destas situações e contribuir para devolver a uma vida sã, tantos dos jovens que connosco convivem.
Votos de uma boa semana para Todos
______________
Um Abraço / GW

1 comentário: