terça-feira, maio 16, 2006

86 - Que mais irá acontecer...

Agora que começava a pensar na minha reformazita, eis que me querem trocar as voltas e aguentar-me mais uns anitos. O que eu gostava de saber é o que uma pessoa na minha situação, irá auferir de reforma quando de facto tiver a oportunidade de o fazer.
Apesar de ainda faltarem uns largos anos para a idade de reforma numa situação normal, certo é que as actuais circunstâncias, me fazem repensar e fazer contas a toda esta reviravolta que nos é dada a conhecer sobre esta matéria.

Que faço ?...

Presentemente, com 38 anos de Segurança Social e sem baixas médicas até este ano (foi esta a 1ª vez) , pode dizer-se que ainda era virgem nesta matéria, tirando um ou outro dia perdido por ligeiras constipações ou algo parecido, certo é que me vejo confrontado com a possibilidade de ser reformado antes da tal idade limite. É verdade que para essa idade limite me faltam ainda 14 anos (pelos dados actuais).
Fico perplexo quando recentemente tive conhecimento das novas tabelas para obtenção dos valores calculados, e ainda mais pelo possível alargamento da idade limite para a reforma. Queixam-se os entendidos e responsáveis (será que são ?) que por este andar teremos uma esperança de Vida cada vez mais tarde e daí o consequente aumento com os subsídios de reforma. Agora pergunto :- E que culpa temos nós, quererão por acaso que as pessoas desapareçam mais cedo, para assim evitar esses custos ? tenho consciência que a entrada no mundo profissional , onde haja comparticipação de impostos para a Segurança Social se dá cada vez mais tarde e logo , é lógico que haverá menos anos contributivos por parte dos trabalhadores e empresas sobre o rendimento do trabalho. Talvez o teor da apresentação pelo Governo seja o mais viável, mas no fundo, mesmo que seja concretizável, ouviremos daqui a uns anos falar na mesma coisa e dizerem de novo que a Sagª Social está falida e que não haverá reformas para ninguém, porque os pagamentos dos subsídios são muito maiores que os pagamentos de contribuições.
Julguei sempre ser um direito de cada um o acesso a uma reforma capáz, um direito adquirido, que salvaguardasse a vida de cada com a tão merecida reforma, mas parece que não... O que existe por direito , somos nós que temos que pagar, descontando, ao longo dos anos e mesmo assim parece que ainda vamos ser penalizados.
Desde que me conheço (não me recordo de grandes alterações) , entram mensalmente nos cofres da Segª Social à conta de cada um cerca de 35% sobre o vencimento, é verdade que para quem trabalhe cerca de 50 anos (ainda é o possível que me aconteça), para uma esperança de vida após a reforma de cerca de 10 anos ... valha-me Deus... ainda querem que seja prolongado o tempo de trabalho !!!
Lia algures que as reformas vão baixar 10% com o novo cálculo recentemente apresentado.
Tive ocasião de ler também que as reformas dos portugueses que se venham a aposentar nos próximos 20 anos, (será o meu caso) calculadas com a nova fórmula, agora divulgada pelo Governo e que este decidiu antecipar -, serão pelo menos, 10% mais baixas do que seriam tendo em conta o cálculo existente até aqui. A notícia foi por mais divulgada mas quanto a mim pouco esclarecida, sim, porque nestas coisas , não convém ser-se muito esclarecedor, quem paga somos nós, por isso...
Conforme li num semanário e passo a citar -"Uma projecção feita por Sara Peralta, economista do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) de Lisboa, mostra que um trabalhador com um salário de cerca de 700 euros ficaria, no regime actual, com uma reforma de 559 euros (cerca de 78% do ordenado). Com a nova fórmula de cálculo - a média de toda a vida contributiva -, a pensão seria de €485, menos 13% do que a opção actual. Revela ainda esse mesmo estudo , ainda, que não basta outra forma de calcular a pensão para travar o crescimento das despesas da Segurança Social. De acordo com Sara Peralta, a diminuição do valor das reformas vai sentir-se, sobretudo, por causa do «factor de sustentabilidade», sendo este o elemento decisivo da reforma que o Governo quer fazer. "
E agora, o que é que eu faço, decido-me pelo cálculo actual e vou já a correr tratar da reforma ? é que das duas uma, ou aumento o meu desconto mensal perante a Segª Social de modo a obter a mesma liquidez de subsídio quando da reforma, ou opto por alargar o meu tempo de trabalho até quiçá, que a Vida finde...
Bem , parece que vou guiar-me pelo que li algures, que a antecipação do novo cálculo das pensões da Segurança Social para as Reformas podem em alguns casos ultrapassar o valor do último salário se sobretudo estamos em presença de salários médios ou baixos e de carreiras estáveis e relativamente longas. Se assim for é caso para dizer "já nos safemos..." Já outro semanário, recorreu ao simulador de pensões on-line da Segurança Social e dá-lhe um exemplo demolidor, em que a pensão, baseada em todas as contribuições, é 41% superior à que teria direito pela antiga fórmula. Mas atenção isto nos casos em que os salários foram sempre muito identicos ou houve outros valores declarados, não será tão verdade como no meu caso, que só auferi vencimentos médios nos últimos 20 a 25 anos , quando nos anos iniciais era baixos , já para não dizer miseráveis... então meus senhores em que é que ficamos !
Vou mas é tirar uns diazitos e recolher-me para fazer os cálculos devidos, é que isto quando toca a nós, há que manter os olhos bem abertos , é que a "raia miúda" sai sempre mais desfavorecida.

Um Abraço
GW

1 comentário: