sábado, maio 20, 2006

88 - A toque de Caixa...

Meus Amigos, que se pode dizer pela anuncio feito pelo secretário de estado do Orçamento sobre o possível fim do Subsídio de Férias dos Reformados... Apesar do desmentido imediato, sempre ouvi dizer, "Nunca há fumo sem fogo.." e a ser assim , valha-nos Stª Engrácia , é caso para dizer, qualquer dia em vez de andarmos de "Baixa p'la caixa, passaremos a andar de caixa p'la Baixa !! "


A Toque de Caixa...
Foi amplamente noticiado nos orgãos de informação , que o fim do 14.º mês , (vulgo subsídio de férias) para os pensionistas é inevitável. Apesar de a ideia ser desmentida, logo de seguida pelo Governo, teria o secretário de Estado do Orçamento, Emanuel dos Santos referido e vou citar, a necessidade de (re)equilibrar “a Segurança Social e corrigir políticas do passado”. Apesar do dito que quer agora ficar por não dito, vem o secretário de Estado do Orçamento negar ter proferido tal, ao ser explícito tanto quanto aprece, que os pensionistas irão deixar de receber o subsídio de férias (14.º mês), sendo esssa uma possibilidade futura. Então ! como é que ficamos, aceitamos a afirmação, ou o desmentido. Ele próprio afirma “Desminto formalmente a ideia que me foi atribuída”, declarando posteriormente aos meios de comunicação Emanuel dos Santos.
certo é que anda muita baralhação, em busca de uma redução de défices, que leva a afirmações deste teor. A verdade , e como disse no início, "não há fumo sem fogo". bom seria que pudessemos acreditar mais no que nos é transmitido e ficarmos precavidos para reacções do tipo.
O Ministério das Finanças e da Administração Pública nega quase de imediato que haja planos para acabar com o subsidio de férias dos reformados, vindo mesmo a público desmentir formalmente que o Governo possa ter no horizonte a hipótese de acabar com o 14º mês dos reformados.
Citação por parte dos responsáveis «O tema 14º mês foi, de facto, abordado em termos teóricos, no decorrer do debate integrado no âmbito de uma dissertação do Secretário de Estado-Adjunto e do Orçamento sob o tema -Portugal: Os desafios da Política Orçamental, perante cerca de 30 estudantes da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra». No entanto, finalizam adiantando que, «porém, nunca em qualquer momento, e em caso algum, foi admitida pelo Secretário de Estado-Adjunto e do Orçamento a possibilidade de o Governo estar a ponderar essa medida».
Pelo que me recordo, terá sido o subsídio de férias atribuido em 1990, num período de expansão económica, no entanto pelo que tem acontecido, sempre me recordo de ter descontado a referida taxa social, quando do recebimento dos subsídios de férias ao longo dos anos, quer da minha parte, quer da aprte da empresa, 34,5% que me garantiria o recebimento também incluso quando da passagem à situação de reforma, não será assim ?
Foi-nos dado a conhecer pelos governantes,fazer todo o sentido adaptar a idade de reforma à esperança média de vida dos pensionistas. Mas o que me espanta e entristece ao mesmo tempo, é falar-se em tanta coisa ao mesmo tempo, numa ânsia a todo o custo de recuperar dinheiros , que muito sinceramente não me parece terem os que sempre liquidaram e descontaram em dia contribuições sociais ou outras, venham a ser penalizados por responsabilidades e/ou má gestão de terceiros...

Um forte Abraço, fiquem bem...

GW

1 comentário: